DIÁRIO DO PAÍS – Contra fatos, não há argumentos!

Sabado, 20 de Julho de 2024
Linguagem Neutra: um atentado violento à Língua Portuguesa - Por: Bruno de Lima

Geral

Linguagem Neutra: um atentado violento à Língua Portuguesa - Por: Bruno de Lima

O presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, bem como outras autoridades políticas, já afirmam que não irão aceitar a Linguagem Neutra.

IMPRIMIR
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.

Quando todos nós pensávamos que já estávamos no limite de todas as palhaçadas que pudessem ser imaginadas no Brasil, eis que surge mais uma delas: a imposição da Linguagem Neutra.

A Linguagem Neutra quer, por mero capricho de alguns, impor uma mudança na nossa linguagem materna, a Língua Portuguesa, através da qual, usa de termos como: todes ao invés de todos; poves ao invés de povo; migs ao invés de amigos e por aí vai.

Esse é, sem sombra de dúvidas, um violento atentado contra a Língua Portuguesa. Mas, quem defende a dita cuja Linguagem Neutra no Brasil? A esquerda e tudo que é “coligado” a ela.

Leia Também:

Não são professores autônomos, mestres ou doutores em Língua Portuguesa que querem impor a Linguagem Neutra. Pelo contrário, a maioria dos mestres da educação se mostra contrária a ela.

A esquerda tenta mais uma vez impor sua agenda política no Brasil. Porém, fique claro: não iremos aceitar a Linguagem Neutra no nosso País.

 

HOMOFOBIA E INCLUSÃO

Um dos pontos dos defensores da Linguagem Neutra é fazer o mimimi de sempre. Mais uma vez eles afirmam que a nossa Língua Portuguesa é homofóbica, exclusiva e machista. Tolos ou analfabetos funcionais são os que afirmam isso.

Outro ponto defendido é a inclusão através da Linguagem Neutra por questões de inclusão social. Mais um “argumento” evasivo.

 

QUEREM ENSINAR PORTUGUÊS AO PORTUGUÊS

Talvez, os “intelectuais” que formam a extrema direita do Brasil, nunca devem ter estudado o mínimo da Língua Portuguesa e nem ao menos se darem aos cuidados de ler uma gramática.

A Linguagem Neutra usa da afronta para querer ensinar a Língua Portuguesa o próprio português.

Acho ainda que eles não sabem que os termos usados na nossa língua pátria geralmente são colocados no masculino, porém esses incluem o gênero feminino. Exemplo: “todos os alunos compareceram aos últimos dias de aula”. Aqui, o “todos” significa homens e mulheres. Esse não é um ato homofóbico ou exclusivo. Ele faz parte da formação da linguagem formal.

Outros exemplos poderiam ser citados, porém esse é o mais usado pelos defensores da Língua Portuguesa para refutar os “rebeldes” da Linguagem Neutra.

 

CONSTITUIÇÃO FEDERAL: A VONTADA DA MAIORIA PREVALECE

Os brasileiros precisam saber que a Constituição Federal de 1988 é o pilar de sustentação de todas as leis que regem a justiça em uma sociedade. Precisam compreender, que em uma verdadeira democracia, deve prevalecer a vontade e o direito da maioria, em uma País, onde os políticos que são a minoria.

Dessa feita, a maioria dos brasileiros não estão de acordo com a imposição da Linguagem Neutra em nosso País. Logo, à luz da Constituição Federal, ela não deve ser imposta.

A Linguagem Neutra, ao tentar mudar a estrutura de nossa linguagem, não imagina que isso causaria um enorme impacto negativo sobre pessoas com deficiência visual, crianças e até mesmo na formação dos professores.

A nossa Língua Portuguesa é complexa, porém é bela e contempla a vontade e o direito da maioria dos brasileiros.

O presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, bem como outras autoridades políticas, já afirmam que não irão aceitar a Linguagem Neutra em solo brasileiro. Está dado o veredito.

PS:

Ah, não poderia esquecer: esse é um artigo de opinião que não busca, em hipótese alguma ser homofóbico ou preconceituoso, antes, pelo contrário, é uma formação para quem não entende a polêmica em torno desse besteirol da Linguagem Neutra. É necessário fazer essa observação, pois a turma do mimimi gosta de distorcer o que falamos ou escrevemos, porém a verdade prevalece e não pode ser suprimida.

Respeitem a Língua Portuguesa. Respeitem nossas raízes. Quem não gostar da nossa língua pode preparar suas malas e ir morar em outro País!

Por hoje é só;

Até a próxima!

 

Redes sociais do DIÁRIO DO PAÍS® no Instagram:

@portaldiariodopais

@brunodelimabr

 

Siga-nos no Threads:

https://www.threads.net/@portaldiariodopais

https://www.threads.net/@brunodelimabr

 

Baixe o aplicativo gratuito do DIÁRIO DO PAÍS para celulares Android no Google Play:

https://play.google.com/store/apps/details?id=news.diariodopais.appdiariodopais

 

***

Em tempos de desinformação, o DIÁRIO DO PAÍS continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais comprometidos com a verdade, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Compartilhe nosso conteúdo.

Acompanhe o nosso site: www.diariodopais.com.br redes sociais: @portaldiariodopais . Você logo irá notar que somos um jornal único. O DIÁRIO DO PAÍS defende os valores Cristãos, a família, o conservadorismo e a tradição, a dignidade da pessoa humana, o liberalismo, a liberdade, os direitos humanos, a justiça e a paz, além de uma sociedade mais justa e humanitária.

Colabore financeiramente com o jornalismo independente do DIÁRIO DO PAÍS via PIX. Chave e-mail: [email protected]

 

Vamos juntos fortalecer a luta por um mundo melhor?

 

FONTE/CRÉDITOS: Bruno de Lima, do DIÁRIO DO PAÍS
FONTE/CRÉDITOS (IMAGEM DE CAPA): Reprodução
Comentários:
Bruno de Lima

Publicado por:

Bruno de Lima

Natural da cidade de Sousa, no Sertão da Paraíba. Cristão Católico. Jornalista. Graduado em Gestão da Tecnologia da Informação. Pós-graduado em Jornalismo Digital e Segurança e Defesa Cibernética.

Saiba Mais
King Pizzaria & Choperia
King Pizzaria & Choperia

Crie sua conta e confira as vantagens do Portal Diário do País+

Leia matérias e colunas exclusivas, anuncie no guia comercial e +. Grátis!

Envie sua mensagem, estaremos respondendo assim que possível ; )

SiteLock